comunità che viene Giorgio Agamben

ISBN: 9788806118013

Published:

77 pages


Description

comunità che viene  by  Giorgio Agamben

comunità che viene by Giorgio Agamben
| | PDF, EPUB, FB2, DjVu, talking book, mp3, RTF | 77 pages | ISBN: 9788806118013 | 3.41 Mb

11O ser que vem é o ser qualquer....o termo que, permanecendo impensado em cada um, condiciona o significado de todos os outros é o adjectivo quodlibet.quodlibet ens naõ é o ser, qualquer ser, mas o ser que, seja como for, não é indiferente...12More11O ser que vem é o ser qualquer....o termo que, permanecendo impensado em cada um, condiciona o significado de todos os outros é o adjectivo quodlibet.quodlibet ens naõ é o ser, qualquer ser, mas o ser que, seja como for, não é indiferente...12...a singularidade exposta como tal é qual-quer, istoé, amável.15A antinomia do individual e do universal tem a sua origem na linguagem.16...o exemplo é um objecto singular que, digamos assim, se dá a ver como tal, mostra a sua singularidade.18A verdade não pode manifestar-se a si própria sem manifestar o falso, que no entanto não é separado dela e expulso para outro lugar...22Espinosa pensa o comum (Et, II, lema II)Decisiva é, aqui, a ideia de uma comunidade inessencial, de uma conformidade quenão diz de modo nenhum respeito a uma essência.23Não é a indiferença da naturea comum em relação às singularidades, mas a indiferença do comum e do próprio, do género e da espécie, da essência e do acidente que constitui o qualquer.

Qualqueré a coisa com todas as suas propriedades, mas nenhuma delas consittui diferença.É neste sentido que deve ser lida a doutrina desses filósofos medievais para quem a passagem da potência ao acto, da forma comum à singularidade, não é um acontecimento cumprdo de uma vez por todas, masuma série infinita de oscilações modais.24Comum e próprio, género e indivíduo são apneas as duas vertentes que descem a partir do cume do qualquer.O ser que gera nesta linha é o ser qualquer e a maneira como passa do comum ao próprio e do próprio ao comum chama-se uso - ou então ethos.25[Agio = à vontade, espaço livre, intervalo.]Na topologia desta aggada, o essencial não é tanto a distinção cartográfica entre Éden e Gehinnom, mas mais o lugar adjacente que cadahomem infalivelmente recebe...O que cada criatura tem de mais próprio torna-se a sua substituibilidade, o seu ser no lugar do outro.30ética é a maneira que não nos acontece nem nos funda, mas nos gera.33...propriamente qualquer é o ser que pode não ser, que pode a sua própria impotência.47...qualquer, é o pequeno deslocamento que cada coisa deverá efectuar no mundo messiânico.

A sua beatitutde é adeuma potência que só vem depois do acto, de uma matéria que não está sob a forma, mas circunda-a e constitui a sua auréola.52Porque se os homens, em vez de procurarem ainda uma identidade própria na forma agora imprópria e insesata da indvidualidade, conseguissem aderir a esta impropriedade como tal e fazer do do seu ser-assim não uma identidade e uma propriedade individual mas uma singularidade sem identidade, uma singularidade comum e absolutamente exposta, se os homens pudessem naõ ser-assim, não terem esta ou aquela identidade biográfica particular, mas serem apenas o assim, a sua exterioridade singular e o seu rosto, então a humanidade acederia pela primeira vez a uma comunidade sem pressupostos e sem sujeitos, uma comunicação que não conheceria já o incomunicável.53Qualquer é a figura da singularidade pura.

A singularidade qq não tem identidade, não é determinada relativamente a um conceito, mas tão-somente é simplesmente indeterminada, ela é determinada apenas através da sua relação com uma idéia, isto é, com a totalidade das suas possibilidades.[fores: soleira, à porta]66Qual pode ser a política da singularidade qualquer, ou seja, de um ser cuja comunidade não é mediada por nenhuma condição de pertença (o ser vermelho, italiano, comunista) nem pela simples ausência de condições (comunidade negativa, tal como foi recentemente proposta em França por Blanchot), mas pela própria pertença?67Porque o facto novo da política que vem é que ela não será já a luta pela conquista ou controlo do Estado, mas luta entre o Estado e o não-Estado (a humanidade), disjunção irremediável entre as singularidades quaisquer e a organização estatal.Um ser que fosse radicalmente privado de toda a identidade representável seria para o Estado absolutamente irrelevante.71[referências o ser e o tempo, parágrafo 9- Tractatus, proposição 6.44]O Irreparável é o facto de as coisas serem como são, deste ou daquele modo, entregues sem remédio à sua maneira de ser.

Irreperáveis são os estados de coisas, sejam elas como forem: tristes ou alegres, cruéis ou felizes. Como és, como é o mundo - é isto o Irreparável.83a redenção não é um acontecimento em que aquilo que era profano se torna sagrado e aquilo que tinha sido perdido é encontrado.

A redenção é, pelo contrário, a perda irreperável do perdido, o definitivo carácter profano do profano. Mas, precisamente por isso, eles atingem agora o seu fim - um limite advém.86Ver simplesmente algo no seu ser-assim: irreparável, mas nem por isso necessário- assim, mas nem por isso contingente - é isto o amor.



Enter the sum





Related Archive Books



Related Books


Comments

Comments for "comunità che viene":


prosunshower.com

©2014-2015 | DMCA | Contact us